Vodafone

Investigação Científica

Nos últimos anos foram efetuados diversos de estudos científicos sobre os potenciais efeitos dos campos de radiofrequência (RF) na saúde. Os cientistas atualmente sabem mais sobre esta matéria do que sobre a maioria dos químicos.

A maior parte das entidades, com autoridade nesta temática, incluindo a Organização Mundial da Saúde (OMS) concordam que não existem provas que convençam os especialistas de que a exposição a campos RF, de telemóveis e estações-base,
quando funcionam em conformidade com as normas definidas, tenha qualquer efeito adverso para a saúde. No entanto, o conhecimento científico atual nesta temática ainda tem algumas lacunas.

No site do Grupo Vodafone pode encontrar um resumo da informação mais recente publicada pela OMS. Para mais esclarecimentos sobre emissões eletromagnéticas poderá consultar a página da OMS sobre este tema.

A Vodafone Portugal acompanha atentamente as comunicações e diretrizes da OMS de forma a identificar as prioridades da Empresa e necessidades da investigação, além de promover uma política de apoio à investigação científica independente nestas áreas, suportada pelo Grupo Vodafone. O financiamento das atividades de investigação científica é uma das prioridades da Empresa, que desde 1999 já aplicou mais de 10,6 milhões de euros em programas nacionais e no apoio a instituições para assegurar a investigação independente. No site do Grupo Vodafone pode conhecer melhor as iniciativas de investigação científica.

Os cientistas e as entidades responsáveis pela saúde pública avaliam os riscos para a saúde dos seres humanos, com base em um conjunto de provas e não em estudos científicos individuais. As provas são sempre analisadas por um painel de especialistas na temática, entre os quais se contam organizações como a Organização Mundial da Saúde (OMS).

No site do Grupo Vodafone estão reunidas as conclusões de diversos estudos realizados, que pode consultar através deste link. A informação é apresentada em língua inglesa.