Vodafone

Monitorização da Epilepsia Pediátrica

A epilepsia é uma doença que afecta cinco em cada mil habitantes e que exige uma monitorização cuidadosa, até porque para muitos dos pacientes a medicação não é solução suficiente e é necessário recorrer a intervenções cirúrgicas. No âmbito dessa avaliação, é frequentemente necessário suspender o tratamento para potenciar o aparecimento de crises, ficando as crianças internadas durante longos períodos de tempo, que têm de ser acompanhados de forma intensa.

Para agilizar este processo a Fundação Vodafone Portugal estabeleceu, em Fevereiro de 2008, um protocolo de cooperação com o Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental (CHLO) que permitiu a implementação de um sistema de monitorização remota da epilepsia pediátrica no Hospital de S. Francisco Xavier e no Hospital de Egas Moniz.

Graças ao recurso às comunicações móveis e a uma aplicação informática específica, os médicos podem observar os exames num computador ou num PDA, mesmo fora do ambiente hospitalar, o que permite uma tomada de decisão mais fundamentada e precoce, optimizando o tempo e as condições de diagnóstico e melhorando a segurança e conforto das crianças.

Funcionamento do sistema de monitorização:

O paciente é seguido por câmaras wireless, que permitem maior mobilidade Em caso de ataques epilépticos o técnico envia imediatamente um sinal para o médico Através das tecnologias de banda larga móvel o médico acede ao vídeo EEG no seu portátil ou PDA com toda a informação, dando indicação da terapia a seguir.

Benefícios:

Entre os benefícios alcançados com esta solução contam-se:
      • Redução do tempo de hospitalização
      • Maior mobilidade dos pacientes
      • Maior detalhe na observação dos dados
      • Aumentar o número de monitorizações simultâneas
      • Maior número de intervenções cirúrgicas
      • O reconhecimento do CHLO como centro de referência e excelência para o tratamento da epilepsia