Videochamadas em holograma, jogos em realidade virtual e aumentada, carros que se conduzem sozinhos, drones que nos trazem encomendas pelo ar, vestuário que nos cuida da saúde, lojas sem caixas de pagamento, casas inteligentes, cidades inteligentes, Internet no frigorífico, na chaleira e na torradeira, redes de próxima geração. Vai ser uma viagem e vai ser incrível.

Acreditamos que o futuro vai trazer-nos o tempo para o que realmente importa. Para estarmos ainda mais uns com os outros. Para conseguirmos estar todos ligados ao mundo e ao que gostamos. Para construirmos relações mais fortes e podermos estar em todo o lado no mesmo instante. Tempo para criar mais, para inspirar mais, para viver mais, para sermos mais humanos.
O futuro vem aí. A Vodafone já lá está. Vamos juntos.

 


 

O futuro vem aí

 

Cidades do Futuro

Dentro de 20 anos as cidades serão espaços mais limpos e saudáveis, e muito diferentes do que são hoje. Novos espaços verdes, como ‘florestas verticais’ nos topos dos arranha-céus ajudarão a limpar o ar. Novos agricultores urbanos (em túneis e arranha-céus) poderão cultivar alimentos frescos nos centros urbanos. As habitações serão impressas em 3D (em vez de construídas), equipadas com móveis em 4D que poderão reconfigurar-se para responder às necessidades das nossas casas. Esta tecnologia terá uma componente salva-vidas para fornecer abrigos temporários em situações de emergência.

 

Mundo dos 100 Terawatt

Em 20 anos a humanidade poderá ter acesso a 100 terawatt de energia limpa e barata – cinco vezes mais que a produção atual (17,5 terawatt). Isto será possível graças à captação, armazenamento e utilização mais eficaz da energia renovável. A transição para esta abundância energética traduzir-se-á em painéis solares, visíveis não só nos topos dos edifícios, mas também incorporados de forma invisível nas janelas, paredes e, até, em algumas vias rápidas. Novos sistemas avançados de armazenamento assegurarão o abastecimento regular e seguro de populações em partes remotas do planeta.

 

Tudo Online

Mais objetos de utilização diária estarão equipados com sensores ligados à internet, permitindo às empresas, casas e equipamentos intermédios funcionar de forma inteligente. Em 2050 será necessário alimentar 9,6 mil milhões de pessoas e, com o triplo dos sensores, a Internet das Coisas (IoT) na agricultura poderá contribuir para o aumento da produção alimentar até 70 por cento.

 

Assistência Inteligente

Graças aos avanços da Inteligência Artificial (IA), as máquinas apoiarão cada vez mais a inteligência humana. A IA acabará por funcionar como um Assistente Pessoal, prevendo quais as nossas necessidades para nos ajudar a gastar menos tempo com tarefas básicas. Estes assistentes pessoais digitais também nos ajudarão a gerir as tarefas mais complexas, tais como, entre outras, otimizar o nosso tempo, vigiar a nossa saúde e, até, evitar problemas e manter-nos seguros.

 

Cuidados de Saúde Personalizados

O aconselhamento médico e os novos tratamentos personalizados terão em conta os nossos estilos de vida, a nossa fisiologia e até a nossa genética, melhorando a esperança média de vida em países desenvolvidos, mas também subdesenvolvidos. Intervenções cirúrgicas novas, tornadas possíveis no início da década de 2020 graças à impressão 3D de órgãos humanos, e ‘biofármacos’ que acionam o sistema imunitário do próprio indivíduo contra a doença, vão por fim à era dos cuidados de saúde uniformizados. Isto permitirá reduzir custos, diminuir tempos de espera e até, quem sabe, acabar com as listas de doadores.

 

Trabalho com Propósito

Os valores éticos e ambientais dos jovens obrigarão as empresas a definir objetivos para além do lucro. À medida que a automatização desempenha as funções mais ‘perigosas, sujas e monótonas’, a criatividade humana será premiada. Estas tendências de propósito e criatividade impulsionarão uma segunda onda de economia de partilha, traduzindo-se em transações mais diretas entre indivíduos e partilha de propriedade. Tudo isto irá mudar a forma como fazemos, adquirimos e utilizamos as ‘coisas’, como por exemplo uma redução até 80% no número de automóveis particulares em mercados desenvolvidos, como os EUA, até 2030.

 

Grandes Projetos de Água

Grandes projetos de captação de água, que variam desde técnicas inovadoras de captação de chuva até à reposição das águas subterrâneas e melhor dessalinização, garantirão a cada ser humano o acesso a água potável em abundância (incluindo 1,2 mil milhões de pessoas atualmente afetadas pela falta de água). Crescentes soluções inovadoras de abastecimento de água tornarão mais comum nas zonas costeiras e países áridos o cultivo de vegetais no meio do deserto com apenas luz solar e água do mar.

 

Mudança nas Viagens

Até 2021, prevê-se que alguns países comecem a substituir as ligações de avião por transportes públicos ultrarrápidos, como o Hyperloop e os comboios de alta velocidade que se deslocam a mais de 960 km/h. Dentro de 20 anos (ou menos), uma nova geração de carros, camiões e drones sem condutor tornarão a mobilidade mais fácil e alargarão o leque de escolhas de locais onde viver, trabalhar e nos divertirmos.

 

Mudança Proteica

Daqui a 20 anos, existirá uma grande variedade de fontes saudáveis de proteína não animal e de alternativas realistas à carne, que não provêm de animais. As emissões de carbono a nível mundial e as doenças cardíacas descerão para níveis mínimos históricos graças a tais opções.

 

Vida Imersiva

Com as tecnologias de realidade virtual, aumentada e mista, entre outras, a educação e o entretenimento serão mais imersivos. O acesso remoto realista permitirá não só ver, mas também cheirar e tocar as coisas à medida que passamos por eventos e destinos exóticos, ou até aprender História ao entrar numa simulação baseada no passado. Em 20 anos, poderá mergulhar junto de recifes de coral ou sentar-se na fila da frente numa final da Taça do Mundo, tudo a partir do conforto do seu sofá.

 

  • 0
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9


  • Cidades do Futuro

    Dentro de 20 anos as cidades serão espaços mais limpos e saudáveis, e muito diferentes do que são hoje. Novos espaços verdes, como ‘florestas verticais’ nos topos dos arranha-céus ajudarão a limpar o ar. Novos agricultores urbanos (em túneis e arranha-céus) poderão cultivar alimentos frescos nos centros urbanos. As habitações serão impressas em 3D (em vez de construídas), equipadas com móveis em 4D que poderão reconfigurar-se para responder às necessidades das nossas casas. Esta tecnologia terá uma componente salva-vidas para fornecer abrigos temporários em situações de emergência.




  • Mundo dos 100 Terawatt

    Em 20 anos a humanidade poderá ter acesso a 100 terawatt de energia limpa e barata – cinco vezes mais que a produção atual (17,5 terawatt). Isto será possível graças à captação, armazenamento e utilização mais eficaz da energia renovável. A transição para esta abundância energética traduzir-se-á em painéis solares, visíveis não só nos topos dos edifícios, mas também incorporados de forma invisível nas janelas, paredes e, até, em algumas vias rápidas. Novos sistemas avançados de armazenamento assegurarão o abastecimento regular e seguro de populações em partes remotas do planeta.




  • Tudo Online

    Mais objetos de utilização diária estarão equipados com sensores ligados à internet, permitindo às empresas, casas e equipamentos intermédios funcionar de forma inteligente. Em 2050 será necessário alimentar 9,6 mil milhões de pessoas e, com o triplo dos sensores, a Internet das Coisas (IoT) na agricultura poderá contribuir para o aumento da produção alimentar até 70 por cento.




  • Assistência Inteligente

    Graças aos avanços da Inteligência Artificial (IA), as máquinas apoiarão cada vez mais a inteligência humana. A IA acabará por funcionar como um Assistente Pessoal, prevendo quais as nossas necessidades para nos ajudar a gastar menos tempo com tarefas básicas. Estes assistentes pessoais digitais também nos ajudarão a gerir as tarefas mais complexas, tais como, entre outras, otimizar o nosso tempo, vigiar a nossa saúde e, até, evitar problemas e manter-nos seguros.




  • Cuidados de Saúde Personalizados

    O aconselhamento médico e os novos tratamentos personalizados terão em conta os nossos estilos de vida, a nossa fisiologia e até a nossa genética, melhorando a esperança média de vida em países desenvolvidos, mas também subdesenvolvidos. Intervenções cirúrgicas novas, tornadas possíveis no início da década de 2020 graças à impressão 3D de órgãos humanos, e ‘biofármacos’ que acionam o sistema imunitário do próprio indivíduo contra a doença, vão por fim à era dos cuidados de saúde uniformizados. Isto permitirá reduzir custos, diminuir tempos de espera e até, quem sabe, acabar com as listas de doadores.




  • Trabalho com Propósito

    Os valores éticos e ambientais dos jovens obrigarão as empresas a definir objetivos para além do lucro. À medida que a automatização desempenha as funções mais ‘perigosas, sujas e monótonas’, a criatividade humana será premiada. Estas tendências de propósito e criatividade impulsionarão uma segunda onda de economia de partilha, traduzindo-se em transações mais diretas entre indivíduos e partilha de propriedade. Tudo isto irá mudar a forma como fazemos, adquirimos e utilizamos as ‘coisas’, como por exemplo uma redução até 80% no número de automóveis particulares em mercados desenvolvidos, como os EUA, até 2030.




  • Grandes Projetos de Água

    Grandes projetos de captação de água, que variam desde técnicas inovadoras de captação de chuva até à reposição das águas subterrâneas e melhor dessalinização, garantirão a cada ser humano o acesso a água potável em abundância (incluindo 1,2 mil milhões de pessoas atualmente afetadas pela falta de água). Crescentes soluções inovadoras de abastecimento de água tornarão mais comum nas zonas costeiras e países áridos o cultivo de vegetais no meio do deserto com apenas luz solar e água do mar.




  • Mudança nas Viagens

    Até 2021, prevê-se que alguns países comecem a substituir as ligações de avião por transportes públicos ultrarrápidos, como o Hyperloop e os comboios de alta velocidade que se deslocam a mais de 960 km/h. Dentro de 20 anos (ou menos), uma nova geração de carros, camiões e drones sem condutor tornarão a mobilidade mais fácil e alargarão o leque de escolhas de locais onde viver, trabalhar e nos divertirmos.




  • Mudança Proteica

    Daqui a 20 anos, existirá uma grande variedade de fontes saudáveis de proteína não animal e de alternativas realistas à carne, que não provêm de animais. As emissões de carbono a nível mundial e as doenças cardíacas descerão para níveis mínimos históricos graças a tais opções.




  • Vida Imersiva

    Com as tecnologias de realidade virtual, aumentada e mista, entre outras, a educação e o entretenimento serão mais imersivos. O acesso remoto realista permitirá não só ver, mas também cheirar e tocar as coisas à medida que passamos por eventos e destinos exóticos, ou até aprender História ao entrar numa simulação baseada no passado. Em 20 anos, poderá mergulhar junto de recifes de coral ou sentar-se na fila da frente numa final da Taça do Mundo, tudo a partir do conforto do seu sofá.


  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10

 

 

E a Vodafone leva-o até lá com