Skip to content

Observatório das Empresas

Tecnologia wearable

Estes calções inteligentes dizem-lhe como melhorar o seu treino

Anna Fletcher e Jenny Marc, CNN Business

Komotoni, Grécia (CNN Business) A tecnologia wereable alcançou grandes progressos nos últimos anos. Desde equipamentos de monitorização e relógios inteligentes até sapatos que vibram para lhe indicar direções, tops que absorvem a poluição do ar e um casaco que funciona como um carregador de telemóvel a energia solar. A Levi’s e a Tommy Hilfiger estão entre as marcas que entram neste mercado.

A startup grega Tribe Wearables agora quer usar roupas de elevada tecnologia para tornar os treinos das pessoas mais eficazes.

A empresa está a desenvolver calções de ginástica que detetam todos os seus movimentos, ensinam a melhorar os seus treinos e ajudam-no a prevenir lesões.

Um laboratório nos seus calções

Outrora jogador de basquete, Demetres Stordopoulos, fundador da Tribe Wearables, sofreu uma lesão no joelho em 2010 quando estudava na universidade. O estudante de ciência da computação ficou frustrado com semanas de exercícios de fisioterapia, incapaz de verificar se estava a recuperar durante as consultas com o seu médico.

Uma viagem a um laboratório de biomecânica em 2013 inspirou Stordopoulos a aplicar a tecnologia de monitorização de laboratório no vestuário desportivo. Ele esperava que essas roupas inteligentes pudessem acompanhar o progresso e a saúde das pessoas que as usavam fora do laboratório - com custos reduzidos.

Mas adequar uma tecnologia complexa ao uso diário não foi tarefa fácil.

O protótipo era "como se um par de calções, um computador e um polvo tivessem tido um filho", diz Stordopoulos.

Nikos Aggelousis, bioengenheiro e líder da Tribe Wearables, admite que estava cético a princípio e que sentiu que o projeto era demasiado ambicioso.

"A ideia era desenvolver um wearable, colocando um laboratório inteiro de biomecânica num par de calções e com uma tecnologia incorporada que ainda estava em pesquisa e desenvolvimento", afirmou.

Agora, através de sensores com a espessura de um papel, é possível ter roupas com a tecnologia incorporada de uma forma quase impercetível.

Cada par de calções da Tribe Wearables contém sensores que recolhem dados que são enviados para uma aplicação, que depois sugere os exercícios que são mais adequados ao utilizador. Também fornece treino virtual com feedback, de forma a garantir que o treino está no nível certo de intensidade.

Stordopoulos acredita que essa tecnologia evitará lesões desportivas e dará às pessoas mais controlo sobre a sua própria forma física.

Também está em desenvolvimento uma t-shirt inteligente.

Um laboratório nos seus calções

As roupas da Tribe Wearables analisam o desempenho do seu corpo durante o exercício, utilizando inteligência artificial

Os relógios inteligentes lideram o caminho

"Ainda é cedo para as roupas inteligentes", afirma Ed Thompson, da empresa de análise de dados GlobalData. “Estão a começar a ser vendidos apenas alguns produtos."

Thompson diz que o progresso recente em áreas como tecidos inteligentes, tecnologia de captura de movimento e inteligência artificial, permite que empresas de tecnologia wearable desenvolvam roupas para tarefas específicas.

"As roupas inteligentes também têm usos nos setores de saúde e defesa, onde a monitorização contínua das atividades corporais é de extrema importância", acrescenta.

O setor é dominado pelo smartwatch, que representa 60% do mercado de wearables, de acordo com a GlobalData. Sensores bioquímicos, deteção de queda e monitores de frequência cardíaca estão a tornar-se padrão nesses dispositivos, que também podem executar funções do smartphone, como tocar música e rastrear a localização.

Enquanto isso, os monitores de atividade estão a perder popularidade porque têm menos recursos do que os smartwatches, afirma a GlobalData.

Aggelousis acredita que existe uma oportunidade única para a tecnologia de fitness no mercado bilionário da roupa. A tarefa é tornar essa tecnologia "discreta e invisível para o utilizador", afirma.

Portanto, o desafio mais importante para a futura tecnologia de fitness será tornar-se impercetível para o utilizador.

Em associação com

cnn-business