Skip to content

Vodafone Stories

Porque é que o cego não pode ouvir?

A pergunta é de Manuel Patuleia, um homem que perdeu a visão em Angola, com apenas 24 anos, durante a Guerra Colonial. Cego há cinco décadas, assistiu aos avanços tecnológicos dos últimos anos, mas não conseguiu tirar proveito de todos. Até agora. O serviço de televisão da Vodafone tem uma nova funcionalidade que permitir, a quem não vê, ouvir tudo aquilo que o comando faz, usufruindo assim de uma experiência televisiva mais completa. Uma ideia desenvolvida por Manuel e pela filha, colaboradora da Vodafone.

Se há 20 anos consultávamos a programação televisiva em revistas e jornais, hoje basta-nos carregar nos botões do comando de TV: temos tudo o que aconteceu, o que acontece e o que acontecerá diante dos nossos olhos. Mas, não podendo um cego ver todas estas informações, por que não as pode ouvir? Manuel tinha razão e a verdade é que, de repente, uma frase que quase parecia desprovida de razão de ser – “Porque é que o cego não pode ouvir?” – ganhou todo um novo significado. A solução começou a ser traçada em conversas entre um pai e uma filha, entre Manuel e Carla.

Através do programa de inovação Vodafone Power Lab, a Vodafone desafia os seus Colaboradores a apresentarem ideias que possam revolucionar productos e serviços ou, tão simplesmente, o melhor funcionamento da Empresa.

Carla Alexandra Patrício (ou Xana, como lhe chama a família) trabalha na Vodafone desde 1999. A sua área de especialidade está longe de ser tecnológica, mas foi ela que, depois de uma conversa com o pai sobre as limitações que este sentia por ser invisual, deu início a um processo para solucionar esse problema. “Recebi um e-mail interno que desafiava os colaboradores a participarem num programa interno de aceleração de ideias para novos produtos ou serviços que pudessem revolucionar a Vodafone e lembrei-me imediatamente do meu pai”, explica. “Apresentei a minha ideia num auditório enorme, perante a administração da Vodafone e centenas de outros colaboradores, e o que apresentei teve logo um impacto muito positivo.” Carla até hoje se divide quanto à explicação deste sucesso imediato: não sabe se foi o conceito por si só ou se foi o impacto de dizer que aquele era um cliente Vodafone que, apesar de usar o computador, o telefone e o telemóvel, não conseguia utilizar a televisão e que aquele mesmo cliente era o seu pai. 

Um idoso e a sua filha sentados lado a lado à frente de uma mesa

Depois de Carla Patrício apresentar a sua ideia à administração da Vodafone, pai e filha ajudaram a melhorar a solução testando durante meses o equipamento.

Esta ideia de Manuel e de Carla foi desenvolvida pela Vodafone que, durante meses, contou com o apoio desta dupla para testar e melhorar o equipamento, até ele estar verdadeiramente pronto para ser lançado no mercado. Ao final de alguns meses, Manuel foi o primeiro a experimentá-lo. “Esta adaptação da box foi feita cá em casa há um mês ou pouco mais, e só está a ser lançada para outras pessoas agora”, explicou-nos Manuel. “Durante este período, descobri uma data de canais que não costumava ver. Agora, quando mudo de canal, a televisão diz-me em alta-voz que programa está a dar e, se eu quiser, diz-me que programas deu antes e quais dará depois; posso andar pelas gravações automáticas para a frente e para trás e aceder a qualquer programa que tenha passado nos últimos dias, ou posso gravar o que ainda vai dar.”

Depois de toda esta dança criativa e tecnológica feita a três entre a Carla, o Manuel e a Vodafone, pai e filha dizem-se felizes por poderem ter participado neste processo juntos e, principalmente, por o verem chegar “a bom porto”. “Sempre tive, e sempre tentei transmitir às minhas duas filhas, uma preocupação com o outro porque, enfim, não vivemos sozinhos no mundo”, diz Manuel. “É por isso que um projeto como este me deixa mesmo muito satisfeito.”

Sabia que...

Existem cerca de 35 mil cegos e quase 590 mil pessoas com perda parcial de visão em Portugal.

No final de 2019, a Vodafone Portugal lançou uma nova funcionalidade para os Clientes de televisão 4K que permite “ler” ao utilizador os vários elementos textuais que surgem no ecrã. Desta forma, quem não vê consegue aceder às mesmas informações que quem vê.

Através do seu programa de apoio ao empreendedorismo e inovação, o Vodafone Power Lab, a Vodafone desafia todos os Colaboradores a apresentarem ideias e soluções que possam revolucionar a empresa. Os projetos são, depois, apresentados à administração da Empresa e muitos deles implementados com sucesso, como é o caso desta nova funcionalidade do serviço de televisão da Vodafone.